Salvador, cidade inteligente

Conhecida mundialmente pela sua diversidade cultural, Salvador cria ecossistema de tecnologias que promovem sustentabilidade e economia, dando passos largos em busca do "selo" de SmartCity.

Quando falamos de Salvador, as primeiras visões que nosso cérebro produz são de uma cidade que convive com a diversidade cultural, com a dialética entre o sagrado e o profano, a cidade baixa e seu patrimônio histórico contrastando com as praias da cidade alta e litoral. É do cheirinho do acarajé e da moqueca de camarão, carros-chefes da culinária apreciada em todo país. Agora, Salvador começa a dar início a uma transformação tecnológica, que irá elevar a cidade à um patamar de eficiência pioneira no país. Ações integradas de diversos órgãos da prefeitura, parecem estar em harmonia. Os ativos de iluminação publica (luminárias) estão recebendo dispositivos inteligentes, capazes de controlar em tempo real o funcionamento e o fluxo das luminárias, enviar alarmes de ocorrências e avarias, e ainda medir em tempo real o consumo de cada ponto de luz. No Parque da Cidade o espaço Colabore, ambiente de empreendedorismo e inovação, recebeu dispositivos de controle de consumo e funcionamento dos equipamentos de ar condicionado dos contêineres. Na sede da Secretaria de Sustentabilidade Inovação e Resiliência – a SECIS -, uma sala de reunião inteligente controla a iluminação e o consumo, tornando a sala autônoma, ligando e ajustando a luminosidade durante o período de uma reunião, e desligando sozinha após o fim do tempo pré-determinado. Um dos pontos turísticos mais famosos do mundo, o Elevador Lacerda recebeu dispositivos para monitorar a qualidade de energia e funcionamento dos motores do elevador, permitindo intervenções preditivas e corretivas, reduzindo problemas de paragem e queimas. Até o Circuito Dodô, no Carnaval, estará monitorado por sistemas inteligentes, que avisará qualquer ocorrência de problemas com a qualidade da energia. Para se ter exemplo, a Avenida Mãe Stella de Oxossi, está 100% monitorada e controlada por estes dispositivos de telegestão, que reduziram os desperdícios de consumo em 25,59% na via – de 3.251,176kWh para 2.451,185kWh - além de permitir o aumento da vida útil das luminárias e a visualização de alarmes em tempo real. O mesmo ocorre na Colina Sagrada do Senhor do Bomfim, onde problemas em algumas luminárias foram alertados pelo sistema, além do funcionamento estar atrelado automaticamente ao nascer e por do sol. Todos esses dispositivos são integrados a uma mesma malha de conectividade (mesh), permitindo aos gestores da cidade atuação em tempo real, reduzindo os tempos de atuação nos reparos e manutenção, além de uma redução significativa dos custos com energia, gerando sustentabilidade e economia para os cofres da cidade. Essa mesma rede no futuro, poderá associar qualquer outro dispositivo para interação entre cidade e cidadão, como alertas de vagas em hospitais, ocorrências no trânsito, segurança pública entre outros. Ou seja, um ecossistema completo de dispositivos associados a Internet das Coisas (IoT). Essas ações colocaram Salvador como a única cidade do nordeste no ranking IESE Cities in Motion Index, que elenca as SmartCities no mundo, que conta com Nova York no topo da lista de mais de 165 cidades. Uma cidade que conversa com seus cidadãos. Este é o futuro que Salvador traçou através do uso das tecnologias inteligentes.